Tag Archives: Vaticano

Vaticano promete combater ‘casamento gay’ após vitória nos EUA

casamento gay

O Vaticano, reagindo às conquistas para o ‘casamento gay’ nos Estados Unidos e na Europa, prometeu no sábado nunca parar de lutar contra as tentativas de “apagar” o papel privilegiado do casamento heterossexual, que descreveu como sendo “uma conquista da civilização”.

Jean Wyllys tenta se retratar após insinuar ligações de Bento XVI ao nazismo

Jean Wyllys

Repercussão pelas redes sociais pode ter levado parlamentar a tentar se retratar com católicos.

Diante da forte repercussão negativa das declarações onde insinuou ligações do Papa ao nazismo, classificando-o como um ‘genocida em potencial’, o deputado federal e ativista gay Jean Wyllys (PSOL/RJ) emitiu uma nota oficial em seu site esclarecendo sua posição.

Para ele, Bento XVI “ofendeu e desrespeitou, na sua dignidade humana, milhões de pessoas homossexuais no mundo inteiro”, por ter dito em um discurso no Vaticano para diplomatas de 180 países que “as políticas que atentam contra a família ameaçam a dignidade humana e o próprio futuro da humanidade”.

Em sua nota, o parlamentar ressalta, de maneira mais ponderada, que Bento XVI “já falou claramente a mesma coisa e com palavras mais diretas quando assinou documentos do Vaticano contra o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo” e que ele é o principal  ideólogo da Igreja contra o casamento gay.

Apesar do Papa não ter proferido em seu discurso as palavras ‘casamento gay’, o parlamentar  apressou-se em condenar seu discurso pró-família.

Católicos de todo o Brasil manifestaram-se pelas redes sociais em repúdio às atitudes do parlamentar, o que pode ter  levado Jean Wyllys a emitir a nota com discurso mais amenizado.

O site ACIDIGITAL ligado à Igreja chegou a republicar um texto extraído de um blog católico, manifestando total indignação diante da atitude do político.

“Jean Wyllys que se diz lutar contra o preconceito dissemina através das redes sociais e articulações na imprensa uma série de comentários irresponsáveis e venenosos com o intuito de amealhar revolta contra o Papa Bento XVI, a Igreja Católica e quem ouse discordar da opinião que deseja implantar a cultura gay. Estes logo são rotulados de homofóbicos”, reproduziu o ACI.

 Fonte: Holofote.Net

Jean Wyllys chama Papa Bento XVI de ‘genocida em potencial’ por declaração contra o casamento gay

Jean Wyllys
Deputado critica a Igreja Católica e os evangélicos.

Atualização em 22/12/2012: Deputado gay no Brasil ofende o Papa após o seu primeiro tweet, católicos reagem

A liberação do casamento de pessoas do mesmo sexo é uma das várias ameaças atuais à família tradicional, pois “ameaçam a dignidade humana” e põe  em xeque “o próprio futuro da humanidade”, disse o papa Bento XVI.

A declaração foi proferida pelo líder católico  durante um pronunciamento de ano novo a diplomatas de quase 180 países  no Vaticano, abordando questões econômicas e sociais contemporâneas.

Ao tomar conhecimento das declarações do Papa, o deputado federal e ex-BBB Jean Wyllys (PSOL/RJ), homossexual assumido, usou seu Twitter para expressar seu repúdio às palavras de Bento XVI, além de atacar a Igreja Católica e os evangélicos.

“Bento XIV – o papa suspeito e acusado de ser simpatico ao nazismo – disse que o casamento civil igualitario é uma ameaça à humanidade”, escreveu o parlamentar.

O parlamentar (foto) disse esperar “que os estados laicos do Ocidente não cedam à pressão” de Bento XVI, acusando-o de ser um “genocida em potencial”.

Jean aproveitou para atacar os evangélicos, ao dizer que “no Brasil, ao fundamentalismo neopentecostal, soma-se a aterrorizante direita católica, fanática e dada a campanhas difamatórias sujas”.

Defensor do PLC 122/2006, o deputado declarou recentemente seu desejo em  proibir que pastores e padres digam em rádios e TV que a prática do homossexualismo é pecado. Para ele, isto faz com que os gays venham a sofrer problemas psíquicos.

"Os malditos evangélicos criaram grandes problemas e embaraços para nós", teria dito Papa Bento XVI em bula papal

Hoje a Rádio Melodia FM, do Rio de Janeiro, levou ao ar um debate, mediado pelo pastor Eliel do Carmo, cujo tema tratava-se sobre uma suposta bula papal assinada pelo Papa Bento XVI,  divulgada pelo correio interno do Vaticano, onde cita um acordo ecumênico entre o Vaticano e cerca de 99% das igrejas evangélicas brasileiras.

Esse assunto tem gerado enormes expectativas entre vários evangélicos brasileiros .

Na bula em questão, há a relação de todas as denominações evangélicas que teriam assinado o ecumenismo mundial com a Igreja Católica Apostólica Romana.

Das 12.500 denominações registradas no Brasil, apenas 13 delas não teriam  concordado com  o tal acordo religioso.

O Papa Bento XVI teria proferido as seguintes frases:

“Os papas anteriores erraram, ignorando os cristãos. Com isto a nossa igreja perdeu membros para os que se dizem ser evangélicos, …. portanto são nossas ovelhas e eu, seu pastor …

Mais à frente lê-se:

“os malditos evangélicos criaram grandes problemas e embaraços para nós. Tivemos que instituir o dízimo nas nossas paróquias por causa deles. Tivemos que criar a renovação carismática católica com louvor avivado, para pregar aos jovens das nossas paróquias”.

Diante de tanta grosseria, em relação aos evangélicos, o que mais chama a atenção na bula papal é a resistência, segundo o documento, das igrejas adventidas em unirem-se ao Vaticano. Isto  é notado na seguinte frase, dentre outras:

“O povo, cedo ou tarde, terá dois grupos distintos – nós e aquele povo do sábado. Eles serão nosso maior pesadelo”.

Das 13 denominações cristãs brasileiras que não fizeram o suposto acordo com o Vaticano,  5 delas são justamente os ‘resistentes’ adventistas ou que guardam o sábado. São elas:

-Batista do Sétimo Dia,

-Ceiferos do Sábado,

-Adventista da Promessa,

-Adventista do Sétimo Dia

-Adventista do Avivamento.

Durante o debate radiofônico vários líderes evangélicos, cujas denominações foram listadas, rechaçaram o tal pacto ecumênico.

Não há como saber da autenticidade do documento, mas há algo estranho por trás de tudo isto.

Particularmente creio que há grupos interessados em algum tipo de vantagem.

Clique abaixo e ouça partes do debate.

Leia o suposto documento de Bento XVI, na íntegra (Clique sobre a figura para ampliá-la).

“Os malditos evangélicos criaram grandes problemas e embaraços para nós”, teria dito Papa Bento XVI em bula papal

Hoje a Rádio Melodia FM, do Rio de Janeiro, levou ao ar um debate, mediado pelo pastor Eliel do Carmo, cujo tema tratava-se sobre uma suposta bula papal assinada pelo Papa Bento XVI,  divulgada pelo correio interno do Vaticano, onde cita um acordo ecumênico entre o Vaticano e cerca de 99% das igrejas evangélicas brasileiras.

Esse assunto tem gerado enormes expectativas entre vários evangélicos brasileiros .

Na bula em questão, há a relação de todas as denominações evangélicas que teriam assinado o ecumenismo mundial com a Igreja Católica Apostólica Romana.

Das 12.500 denominações registradas no Brasil, apenas 13 delas não teriam  concordado com  o tal acordo religioso.

O Papa Bento XVI teria proferido as seguintes frases:

“Os papas anteriores erraram, ignorando os cristãos. Com isto a nossa igreja perdeu membros para os que se dizem ser evangélicos, …. portanto são nossas ovelhas e eu, seu pastor …

Mais à frente lê-se:

“os malditos evangélicos criaram grandes problemas e embaraços para nós. Tivemos que instituir o dízimo nas nossas paróquias por causa deles. Tivemos que criar a renovação carismática católica com louvor avivado, para pregar aos jovens das nossas paróquias”.

Diante de tanta grosseria, em relação aos evangélicos, o que mais chama a atenção na bula papal é a resistência, segundo o documento, das igrejas adventidas em unirem-se ao Vaticano. Isto  é notado na seguinte frase, dentre outras:

“O povo, cedo ou tarde, terá dois grupos distintos – nós e aquele povo do sábado. Eles serão nosso maior pesadelo”.

Das 13 denominações cristãs brasileiras que não fizeram o suposto acordo com o Vaticano,  5 delas são justamente os ‘resistentes’ adventistas ou que guardam o sábado. São elas:

-Batista do Sétimo Dia,

-Ceiferos do Sábado,

-Adventista da Promessa,

-Adventista do Sétimo Dia

-Adventista do Avivamento.

Durante o debate radiofônico vários líderes evangélicos, cujas denominações foram listadas, rechaçaram o tal pacto ecumênico.

Não há como saber da autenticidade do documento, mas há algo estranho por trás de tudo isto.

Particularmente creio que há grupos interessados em algum tipo de vantagem.

Clique abaixo e ouça partes do debate.

Leia o suposto documento de Bento XVI, na íntegra (Clique sobre a figura para ampliá-la).

Vaticano afirma estar com os restos mortais do Apóstolo Paulo

Clique aqui.