Vovós lésbicas de 91 e 90 anos se casam nos EUA

Newlyweds-in-Their-90s-GR11RHEBD.1Mais de sete décadas depois de começar seu relacionamento, as lésbicas Vivian Boyack, de 91 anos, e Alice Dubes, de 90, se casaram numa cerimônia em Davenport, Iowa, nos Estados Unidos. A celebração realizada no sábado contou com a presença de amigos íntimos. (Fonte: O Globo)

COMENTÁRIO:

O pecado jaz à porta, não há limites e nem idade para ele.

Garotinho tem 34% de rejeição dos eleitores do Rio de Janeiro

anthony garotinhoGarotinho misturou o apelo religioso com práticas populistas no governo (1998-2001) e hoje possui a maior rejeição entre os candidatos (34%). É considerado o adversário preferido no segundo turno entre os candidatos, por esse índice negativo.

Os evangélicos estão divididos entre Crivella e Garotinho, que se apresenta como “Irmão Garotinho” em programas de rádio e já foi multado por distribuir brindes religiosos. Entre os evangélicos, 30% apoiam Garotinho e 28% apoiam Crivella.

(Fonte: Veja)

Delegado que atirou em evangélico poderá ser homenageado em evento inter-religioso

O evento estaria sendo organizado por Ivanir dos Santos, babalorixá que integra a Comissão de Combate a Intolerância Religiosa (CCIR)

 

COMENTÁRIO de PAULO TEIXEIRA (RJ):

Um delegado que é preso em flagrante e afastado de suas funções por ter atirado em uma pessoa merece receber homenagens?

Em que país estamos?

A homenagem que fará ao delegado não será por ter dado o tiro, creio assim, mas por sua passagem pela CCIR. Todavia não justifica tal evento  diante do ato brutal por ele cometido. O babalorixá Ivanir dos Santos deveria colocar a mão na consciência e entender que o delegado não merece ser homenageado, mas pelo contrário, responder por seu ato, à luz da lei.

Desde 2008 o Holofote.Net tem focado os passos da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR).

O que se tem observado é que a existência dessa Comissão não implica que esta de fato combata os atos de intolerância religiosa contra outras religiões, se não contra as afro-brasileiras. Como exemplo, cito o vilipêndio aos símbolos católicos ocorrido por ocasião da Jornada Mundial da Juventude realizada no Rio, em 2013, por integrantes da ‘marcha das vadias’. Não foi patente aos olhos da sociedade qualquer ação proposta por essa Comissão que visasse acionar judicialmente os intolerantes.

Carlos Gomes mostra curativo na saída do Hospital Municipal Miguel Couto, após ser atingido pelo tiro disparado pelo delegado

Carlos Gomes mostra curativo na saída do Hospital Municipal Miguel Couto, após ser atingido pelo tiro disparado pelo delegado

Tanto o delegado que deu o tiro no evangélico como o babalorixá sempre disseram que são contra a intolerância religiosa e até faziam parte da CCIR. Todavia, as recentes ocorrências mostram à sociedade a realidade.

Devemos estar atentos quanto ao radicalismo de pessoas que se dizem religiosas.

Estejamos atentos.

Delegado que atirou em evangélico poderá ser homenageado em evento inter-religioso

O chefe da Polícia Civil, Fernando Veloso, afastou, na última sexta-feira (05/set), o delegado Henrique Pessoa da 79ª DP (Jurujuba) e do Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa da corporação. O motivo foi a abertura de um inquérito contra Pessoa por tentativa de homicídio: na última quarta-feira, ele atirou em um evangélico da Igreja Geração Jesus Cristo ao fim de uma audiência no 5º Juizado Especial Cível, em Copacabana, onde processa um outro seguidor da igreja. O delegado disse que agiu em legítima defesa após ter sido cercado por um grupo de cerca de 20 pessoas levado ao local pelo pastor Tupirani da Hora Lores, a quem acusa de persegui-lo.

Integrante da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, o babalorixá Ivanir dos Santos, disse que espera se encontrar com os novos integrantes do núcleo da Polícia Civil na próxima quarta-feira, dia em que acontecem as reuniões do grupo de trabalho criado pelo governo estadual.

— Espero que os delegados sejam tão dedicados à causa quanto Henrique Pessoa — disse Ivanir, que organiza um ato inter-religioso em homenagem ao delegado Henrique Pessoa. (Fonte: O Globo, com adaptações de Paulo Teixeira)

José Junior, do Afro Reggae, atribui morte do ex-traficante ao pastor Marcos Pereira

COMENTÁRIO DE PAULO TEIXEIRA (RJ):

As acusações contra o pastor Marcos Pereira são tantas que até já caíram em descrédito. Tudo é culpa dele.

Resta saber se o ataque a Israel por integrantes do Hamas da Faixa de Gaza também é culpa do pastor Marcos Pereira.

José Junior, do Afro Reggae, atribui morte do ex-traficante ao pastor Marcos Pereira  

Pastor Marcos Pereira

Pastor Marcos Pereira

Na última terça-feira (02), o ex-traficante Francisco Paulo Testas Monteiro, o Tuchinha, foi assassinado na Mangueira, no Rio de Janeiro. O coordenador do Afro Reggae, José Junior, comentou o ocorrido atribuindo a responsabilidade do crime ao pastor Marcos Pereira e ao conhecido traficante Marcinho VP.

José Junior afirmou que já havia alertado sobre as ameaças feitas pelo pastor e disse, entre lágrimas, que tem em mãos os nomes dos homens que assassinaram Tuchinha e que já os entregou às autoridades.

- As denúncias que eu faço há dois anos de ameaças aos integrantes do Afro Reggae estão se concretizando. Há cerca de duas semanas eu participei como testemunha de acusação de audiência contra ele (pastor Marcos) e avisei ao juiz das ameaças. Eu e o Polegar, irmão do Tuchinha, chegamos a pedir para ele deixar a Mangueira. Ele disse que não deixaria o local. Trata-se de uma retaliação ao estado, à pacificação e ao Afro Reggae – afirmou Junior.

De acordo com o coordenador do Afro Reggae, após abandonar o crime, Tuchinha trabalhava como palestrante na ONG, focado na retirada de traficantes da vida do crime e teve como última conquista fazer de seu irmão, Polegar, “um homem de bem”.

O Afro Reggae publicou nota oficial sobre o assassinato, na qual afirma que “lamenta profundamente a morte de seu funcionário Francisco Testas Monteiro, o Tuchinha, assassinado hoje à tarde, onde ainda reside parte de sua família. Há três anos, depois de cumprir 21 anos de prisão, o ex-chefe do tráfico no morro trabalhava na ONG, integrando as equipes dos programas Segunda Chance e Comandos”.

Tuchinha foi baleado na tarde desta terça-feira na Mangueira, Zona Norte do Rio, por dois homens em uma moto. As informações da polícia são de que pelo menos cinco disparos foram feitos contra o ex-traficante. (Gospel Mais)

Paulo Teixeira, editor do Holofote.Net, fala sobre sua candidatura a Deputado Federal pelo RJ

paulo 615x320

Candidato a uma vaga na Câmara Federal nas eleições de 2014, o evangelista Paulo Teixeira, editor do Blog HolofoteNet, desde 2007, da igreja Assembleia de Deus Ministério de Madureira, quer usar sua experiência de vida e testemunho de superação para representar na Câmara dos Deputados uma classe social que tem tido pouca atenção: os pobres.

Com foco também em defesa dos princípios cristãos e da família, Paulo Teixeira concedeu entrevista ao Portal Gospel Prime e destacou que “muitos acordos políticos são feitos à revelia dos interesses da sociedade”.

Entrevista completa, clique aqui.

Pesquisa mostra que a maioria dos brasileiros é contra o casamento gay e a legalização do aborto e da maconha

Casa branca casamento gayUm levantamento realizado pelo instituto de pesquisa Ibope revelou que a maioria dos brasileiros é contra a legalização do aborto e da maconha, e a liberação do casamento gay.

A pesquisa foi realizada paralelamente à aferição das intenções de voto nos candidatos a presidente que foi divulgada na noite de ontem pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela TV Globo.

79% dos brasileiros é contrário à legalização do aborto, enquanto que 16% se diz à favor. O tema é uma das principais bandeiras de partidos de esquerda e movimentos feministas, e foi o centro de uma das principais batalhas travadas pela bancada evangélica nos últimos quatro anos.

O mesmo índice se repete no quesito liberação da maconha: 79% a favor e 16% contra. O tema vem sendo debatido de forma mais frequente na sociedade como uma sugestão de combate ao tráfico de drogas, que tem na maconha seu produto mais popular. Os argumentos favoráveis à descriminalização da erva apontam para uma possível redução dos crimes cometidos para torná-la disponível aos usuários. Os contrários, apontam os danos à saúde que o consumo em excesso pode causar.

O casamento gay é motivo de divisão na sociedade brasileira: 53% manifesta opinião contrária à liberação da união entre pessoas do mesmo sexo, enquanto 40% defende a ideia de que homossexuais têm esse direito. Recentemente, o tema foi motivo de polêmica na campanha de Marina Silva (PSB), com críticas dos ativistas gays ao programa de governo da candidata.

A pena de morte é outro tema que divide a opinião pública no Brasil, país que é formado por maioria cristã – religião que defende a valorização da vida. 49% dos brasileiros é contrário à pena de morte, enquanto 46% defende a adoção da sentença máxima em casos de crimes hediondos.

Essa divisão não existe quando o assunto é a redução da maioridade penal: 80% dos brasileiros é favorável à mudança na lei que permita um adolescente ser julgado como adulto se cometer crime direta ou indiretamente.

A pesquisa mostrou ainda que os brasileiros são favoráveis à manutenção do programa família. 75% dos entrevistados aprovam a iniciativa de distribuição de renda às famílias mais pobres, enquanto que 22% reprova.

Uma das bandeiras defendidas pelo candidato do PSC à presidência da República, pastor Everaldo, a privatização de 100% do capital da Petrobrás é rejeitada por 59%, enquanto 22% se manifesta a favor. (Gospel Mais)

Eleições 2014: candidatos evangélicos do Rio de Janeiro

Abaixo a lista dos candidatos evangélicos do Rio de Janeiro que disputam o Governo do Estado e uma vaga no Senado Federal: GovernEleições_capa[2]ador:

-Marcelo Crivella (10)

-Anthony Garotinho (22)

-Senador:

-Sebastião Neves (100)

-Liliam Sá (901)

Comentário:

Além dos citados acima, o editor deste Blog – que desde 2007 defende pela internet os princípios cristãos – também é candidato, pelo Rio de Janeiro,  a uma vaga na Câmara dos Deputados em Brasília. O  site de campanha é www.PauloTeixeiraRio.com.br .

Ascensão de Marina Silva seria o cumprimento de uma profecia de 2011?

Marina Silva

Marina Silva

Cumprimento da profecia?

A nomeação de Marina como candidata do PSB tem feito com que evangélicos acreditem que ela será eleita, cumprindo a profecia dada pelo pastor Bob Hazlett na Conferência Dunamis de 2011.

Durante aquele evento o pastor americano viu que uma mulher que estava no governo do Brasil era comandada por um homem através de cordas como se fosse marionetes, mas ele viu o próprio Deus cortando aquelas cordas e levantando uma mulher “segundo o coração de Deus” para uma temporada de prosperidade na nação brasileira. (Fonte: Gospel Prime)

Projeto de Lei propõe mudança de sexo para crianças e adolescentes

COMENTÁRIO de PAULO TEIXEIRA (editor do Holofote.Net):

Um projeto desse é uma verdadeira afronta à raça humana.

ACORDA BRASIL !!!

Leia o artigo completo.

Jornalista que mentiu e manipulou matéria sobre Joaquim Barbosa faz matéria fraudulenta contra Rubens Teixeira

joaquim-barbosa

A revista Época publicou uma matéria, assinada pelo jornalista Diego Escosteguy, intitulada “Os intocáveis: uma auditoria interna da Petrobras revela licitações dirigidas e contratos fajutos na Transpetro. Nada a temer: os diretores têm padrinhos políticos fortes” envolvendo dois grandes nomes do cenário político evangélico: Rubens Teixeira e Marcelo Crivella, recheada de mentiras e o famoso preconceito religioso arraigado na mídia secular. Primeiramente algumas mentiras saltam aos olhos: Rubens não é da Assembleia de Deus Ministério Óleo e Vida, nunca foi da mesma igreja do senador Marcelo Crivella, que é da IURD, e o então assistente e sua esposa citados na matéria são da Igreja Presbiteriana.

Se as inverdades fossem somente mais um erro grotesco de falta de exercício correto do jornalismo errar tais informações não seria necessária uma matéria sobre o tema, mas encontramos diversos erros que chamam a atenção na reportagem. Mas antes de abordá-las um fato revela um panorâma, remetidos ao caso de mentiras em uma entrevista envolvendo o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa e não causa estranheza o fato de ser o mesmo jornalista, o que fez a Revista Época se desculpar. Abaixo replicamos o trecho da carta do ex-presidente do STF que revela ao eleitor como o jornalista habitualmente trabalha, aparentemente para cumprir uma finalidade:

“A matéria “Não serei candidato a presidente” divulgada na edição nº 823 dessa revista traz em si um grave desvio da ética jornalística. Refiro-me a artifícios e subterfúgios utilizados pelo repórter, que…”

“Fora o condenável método de abordagem, o texto é repleto de erros factuais, construções imaginárias e preconceituosas, além de sérias acusações contra a minha pessoa. …”

“Mais grave, porém, é a acusação de que teria manipulado uma votação, impedindo deliberadamente que um ministro do STF se manifestasse. O objetivo seria submeter o ministro a pressões da “mídia” e de “populares”. Isso não é verdade. Ofensiva para qualquer cidadão, a afirmação ganha contornos ainda mais graves quando associada ao Chefe do Poder Judiciário. …”

“No campo pessoal, as inverdades narradas na matéria são ainda mais ofensivas e revelam total desconhecimento sobre a minha biografia. Minha mãe nunca foi faxineira. Ela sempre trabalhou no lar, tendo se dedicado especialmente ao cuidado e à educação dos filhos. O texto, que me classifica como taciturno, áspero, grosseiro, não apresenta fundamentos para essas afirmações que, além de deselegantes, refletem apenas a visão distorcida e preconceituosa do repórter. O autor da matéria não apresenta elementos que sustentem os adjetivos gratuitos que utiliza. …”

“Também desrespeitosa é a menção aos meus problemas de saúde. Ao afirmar que a dor causou “angústia e raiva”, o jornalista traçou um perfil psicológico sem apresentar os elementos que lhe permitiram avaliar o impacto de um problema de saúde em uma pessoa com a qual ele nunca havia sequer conversado”.

“Finalmente, não tenho definição com relação ao momento de minha saída do Supremo e de minha aposentadoria. Muito menos está definido o que farei depois dessa data, embora a matéria tenha afirmado – sem que o jornalista tenha sequer tentado entrevistar-me sobre o tema – que irei dedicar-me ao combate ao racismo.

Triste exemplo de jornalismo especulativo e de má-fé”.

O jornalismo correto preza que devemos sempre ouvir todas as partes, o que não ocorreu para com o personagem principal da matéria, Rubens Teixeira. Procurado pelo Gospel Hoje o pastor não quis falar muito para preservar sua empresa de falatórios e a muitas outras pessoas. Mas além de ouvir a sua posição fora feito o que devia ter sido feito pelo jornalista, uma vasta pesquisa entre diversas fontes onde chegamos a conclusão que a matéria publicada na Revista Época foi totalmente fantasiosa.

De tudo que foi ouvido se percebe que houve uma auditoria feita com auditores da Petrobras e da Transpetro onde foi produzido um relatório cheio de erros com fins de induzir que haviam falhas na administração de Teixeira que, segundo dizem pessoas do mercado e da própria empresa, é um gestor rigoroso com resultados exemplares em todas as áreas que dirige.

Evidentemente que o caso envolvendo Teixeira veio à tona agora, em um relatório certamente encomendado, mas percebido e alertado pelo diretor, por conta do período eleitoral, o que indica má fé de alguém, pois esperam afetar de alguma forma a eleição. Por outro lado, a atitude costumeira de um jornalista com antecedentes de mentiras e insinuações contra pessoas públicas, como fez com o Ministro Joaquim Barbosa, aproveitou para também colocar suas mentiras, confundir o leitor no seu texto confuso e destilar todo o seu preconceito contra o diretor Financeiro da Transpetro no seu texto e no seu twitter no final de semana, mas não contava que essa armadilha já havia sido percebida pelo diretor desde a elaboração do relatório e por outros indícios que fez o mesmo a gravar o vídeo e postar no youtube 8 meses antes da sua venenosa matéria.

Assista o vídeo do Dr. Rubens Teixeira denunciando previamente a acusação que poderia sofrer em período eleitoral:

Entenda o emaranhado de mentiras

Logo que chegou na Transpetro precisou trocar muitos gerentes, seja por baixo desempenho, comportamentos inadequados e falta de perfil, especialmente da área de contratos, e isso gerou muita revolta. Acabou com atrasos de pagamentos que permitiam desvios de comportamento de empregados que poderiam dificultar o pagamento para receber algo em troca. Convidou pessoas experientes do mercado para auxiliar nas mudanças culturais e técnicas internas e fez uma verdadeira revolução que mudou muitas práticas internas.

Contudo, a estranha auditoria feita na sua área, sem que ele pudesse acompanhar, veio cheio de erros técnicos e de dados que foram imediatamente apontados pelo diretor que, ao invés de ter seus contratos auditados, sofreu uma investigação indevida que por fim nada encontrou. Quando percebeu os procedimentos errados da auditoria, a fragilidade técnica dos argumentos e as informações erradas colocadas pelos auditores, que se recusaram corrigi-la, percebeu que sua vida particular tinha sido indevidamente investigada e imediatamente informou à empresa que o relatório era político e não poderia legitimá-lo.

Dentre as mentiras colocadas ou insinuadas pelos auditores e pelo jornalista, aparentemente parceiros da matéria, destacamos que Rubens Teixeira jamais descumpriu a lei contra o nepotismo para contratar parentes, seja na Transpetro ou em qualquer empresa terceirizada.

Outra mentira é que o diretor não contratou a consultoria Gênesis, mas sim o Gerente responsável por implantar um sistema rígido proposto por Teixeira, enquanto diretor, com a finalidade de reduzir números de aditivos, reduzir custos de contratos e otimizar e dar mais transparência à gestão dos contratos sob sua responsabilidade. A contratação foi sustentada por um parecer jurídico e foi precedida de uma cotação. Os salários pagos aos membros da consultoria eram abaixo do preço de mercado devido ao baixo preço oferecido por ela na cotação.

A consultora sócia majoritária da Gênesis não foi contratada pelos 5 meses de experiência na Transpetro, mas por seus outros cerca de 30 anos de experiência no Banco Central do Brasil em várias funções de confiança, seja chefiando a área de logística e segurança de armazenamento, distribuição, e recolhimento de todo o dinheiro que circula no país: alguns trilhões, que impunha a realização de contratos e convênios de alta complexidade. Ocupou outras funções de chefia de setores técnicos importantes e consultorias também. Este fato sequer foi enxergado pelos auditores e, evidentemente, aproveitado pelo jornalista. A formação acadêmica da consultora é diversificada: advogada, contadora com várias pós-graduações. Certamente este tipo de auditor não é preparado para esta análise ou estava cumprindo uma finalidade.

Com relação as empresas convidadas para a licitação de carros, não foram encontradas, em qualquer parte do relatório, ou da auditoria que haviam empresas fantasmas. A lei exige que haja convite e propostas válidas de 3 empresas. Havia quatro empresas que tinham em seu objeto o serviço para a qual foram convidadas e três empresas que apresentaram propostas competitivas que estavam de acordo com o orçamento de referencia elaborado por setor que elabora os orçamentos da Transpetro. Duas das que apresentaram propostas tinham em seu nome “engenharia”, mas tinham em seu objeto a prestação de serviço de transporte que, naturalmente, é o que importa para dizer se a empresa pode ou não prestar determinado tipo de serviço. A empresa citada com baixo capital social, à época de 2 mil reais, tem um patrimônio compatível com o serviço que prestaria. Não havia qualquer impedimento legal para contratação. O jornalista parece não entender a diferença entre um e outro.

Sobre os critérios que devem ser seguidos para convidar as empresas, o decreto 2745 refere-se a empresas que sejam parte do cadastro da Petrobras ou não. Este requisito foi cumprido. Nada pode ser falado além disso. Os gerentes e coordenadores envolvidos neste processo foram todos retirados da função bem antes da matéria vir à tona ou da auditoria observar o problema. Muitas denúncias surgiram por esta razão.

Quanto aos “aditivos exagerados” que o jornalista afirma ter trazido prejuízos para a empresa trata-se de uma incorreção grosseira, seja do jornalista, seja da auditoria. Qual seria a verdade então? Todos os serviços pagos foram realizados e as comprovações estão na empresa para qualquer cidadão quiser conferir. Há serviços continuados (alimentação, segurança, limpeza, etc) que são e sempre foram prestado por empresas contratadas com essa finalidade. Os contratos existentes que estavam finalizando precisavam ser revistos para otimização visando melhor eficiência e redução de custos.

Para que fossem feitas reformulações que otimizassem contratos vigentes, sem que os serviços prestados pelas empresas contratadas parassem, a melhor solução foi celebrar um aditivo contratual, que corresponderia alongar o prazo para não parar o serviço, mas pagando os mesmos custos licitados anteriormente. Depois da reformulação seriam feitos processos licitatórios com os novos modelos de contratos otimizados, o que realmente aconteceu. Normalmente estes contratos antigos, ao serem aditivados, não são interessantes para as empresas contratadas, por estarem com preços defasados, e algumas se recusaram a aceitar e outras, inclusive, não tiveram condições de continuar e abandonaram o contrato. Esta situação comprova o contrário. Muitos preços excessivamente baixos deram condições à Transpetro de ter os serviços com preços antigos o que gerou economia.

Quanto às irregularidades nas jornadas de trabalho excessivas dos motoristas, havia em alguns casos pontuais que foram corrigidos. Contudo, os próprios motoristas que ganhavam as horas trabalhadas se sentiram prejudicados por não mais poderem recebê-las. Alguns profissionais preferiam esta situação para aumentarem seus rendimentos, mas foi coibida.

O assistente do diretor citado na matéria não tinha poder para contratar qualquer pessoa, nem mesmo a sua mulher. Não precisou da autorização do diretor para esta contratação pois é uma medida gerencial. Além disso, a esposa sequer trabalhava na mesma cidade que o diretor e seu assistente. A contratação para trabalhar em uma repartição da empresa, fora do mesmo ambiente, foi feita por um gerente. Contudo, ainda assim foi demitida da função e ele também deixou o cargo. O assistente do diretor foi o único a ser afastado da função em decorrência disso. O diretor foi extremamente rigoroso com ele. Todos os demais só tiveram seus parentes demitidos.

O carro do diretor é para uso em serviço e em atividades de representação (todos os lugares em que o chega como diretor (palestras, eventos, etc). Jamais lazer, passeio e férias. O diretor foi “acusado” de usar o carro nas férias e de licença médica. Na verdade, ele interrompeu as férias e licenças médicas pós-cirurgia várias vezes para atender o interesse da empresa. Quando volta para o trabalho suas férias são automaticamente interrompidas. Quanto ao uso do carro em finais de semana, o motivo era o mesmo: ou serviço ou representação. Jamais uso para finalidades pessoais ou particulares.

Triste exemplo de jornalismo especulativo e de má-fé

rubens teixeira

O Gospel Hoje chega a conclusão que nos preocupa acerca do país que vivemos, da seriedade da imprensa e das instituições e isso é muito preocupante.

Diego Escosteguy, jornalista que se revelou ser dado a mentiras e ser preconceituoso, disse que Rubens Teixeira era político e insinuou que não entendia nada de petróleo. Na verdade, Teixeira é servidor público concursado há 26 anos. Hoje é também funcionário de carreira do Banco Central do Brasil. Quanto a não entender nada de petróleo, e porque, como faz investigação frágil, não percebeu que Teixeira formou-se engenheiro pelo IME e por isso seria impossível ser leigo em um tema como petróleo, além do que já realizou curso no Instituto Brasileiro de Petróleo.

Embora a atitude preconceituosa do jornalista em chamar Rubens Teixeira de pastor o tempo todo na matéria da Revista Época e no seu twitter pessoal na tentativa de despertar a fúria das pessoas contra o diretor da Transpetro, na verdade, ele é diretor da estatal por ser doutor em economia (UFF), mestre em engenharia nuclear (IME), pós-graduado em auditoria e perícia contábil (UNESA), engenheiro civil (IME), formado em direito (UFRJ e aprovado para a OAB-RJ), bacharel em Ciências Militares (AMAN), um dos vencedores do Prêmio Tesouro Nacional com sua tese de doutorado, teve sua monografia de direito premiada, tem artigos de direito, economia e outros publicados no Brasil e no exterior, além de ser autor de livros, como o best seller “As 25 Leis Bíblicas do Sucesso” e do recém lançado “Sociedade com Deus”, ambos com o juiz federal Wiliam Douglas, e do livro “Desatando o nó do crescimento econômico” com Henrique Forno e Márcio Araujo, todos doutores em economia e funcionários de carreira do Banco Central. Vale ressaltar que na igreja pouco importa a profissão da pessoa e numa empresa séria, pouco importa a religião da pessoa.

Evidentemente que no nosso país, por ele ser o que é, temos corruptos igual a baratas, em todos os lugares, mas ainda encontramos pessoas honestas. Nem todos os jornalistas, são corruptos, manipuladores e preconceituosos, como nem todos os políticos são honestos e homens de bem. Temos cidadãos que não fazem gato, não sonegam, como temos policiais e políticos corretos e os jornalistas não são diferentes.

PT pressiona para rachar o PSB de Eduardo Campos

COMENTÁRIO DE PAULO TEIXEIRA (RJ):

É mais do que evidente que se Marina Silva (PSB) for escolhida como candidata no lugar de Eduardo Campos, a eleição irá para o segundo turno e poderá levar a derrota fulgurante do PT. 

Observemos atentamente.

Marina Silva

Marina Silva

PT estaria pressionando para rachar o PSB de Eduardo Campos  

O PT já começou a operar na tentativa de fazer com que o PSB abra palanques nos estados para a presidente Dilma Rousseff, segundo lideranças socialistas. A intenção é rachar a sigla ex-aliada e fazer com que setores regionais do partido embarquem na campanha de Dilma, o que enfraqueceria uma eventual candidatura da ex-senadora Marina Silva, que era vice na chapa de Eduardo Campos, morto nesta quarta-feira (13) em acidente aéreo. Ela deve ser o nome escolhido para substituir Campos.

Interlocutores do PT já começaram a assediar líderes do PSB em estados onde há uma boa relação entre as duas siglas, como Bahia e Sergipe. Em meio a esse processo, a própria Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ligaram na quinta-feira (14) para Roberto Amaral, presidente em exercício do PSB, que assumiu a responsabilidade de conduzir o processo para a nova candidatura.

Na pauta, oficialmente, constam apenas condolências pela morte de Campos. O vice-presidente do PT, Alberto Cantalice, negou que haja assédio da legenda ao PSB. Cantalice disse que questões eleitorais só serão discutidas a partir de segunda-feira (18), após o sepultamento de Campos, que será no próximo domingo (17).

Ao mesmo tempo que evita dar um tom eleitoreiro, Lula disse que não há como negar que a morte de Campos provoca uma mudança no cenário.

O que virá?

Membros da Executiva do PSB se reuniram na quinta-feira num hotel em São Paulo para discutir os próximos passos. A expectativa é que a decisão sobre a nova composição da chapa saia entre os dias 19 e 20. No entanto, o partido também só vai se pronunciar oficialmente sobre o novo projeto político após domingo.

Uma ala ligada ao presidente nacional em exercício, Roberto Amaral, mais próxima do PT, defende para a cabeça de chapa um nome que não seja oriundo da Rede, movimento de Marina abrigado no PSB. Outro grupo apoia o nome de Marina como candidata à Presidência. Dele fazem parte o candidato ao governo do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, o líder na Câmara, Beto Albuquerque (RS), e os deputados Márcio França (SP) e Julio Delgado (MG).

De acordo com um dos dirigentes nacionais do partido que esteve na reunião em São Paulo, a “parte mais pragmática do partido” defende o alinhamento com o nome de Marina Silva. A leitura é que o nome da senadora seria a salvação para a consolidação do PSB. Outro grupo, mais preocupado com o futuro do partido, trabalha com a posição de não haver candidatura do PSB. O receio é que Marina, na prática, desestruture o partido. Segundo esse dirigente, será convocada uma reunião da Executiva do partido, em Brasília, depois da missa de sétimo dia de Eduardo Campos, onde seria tomada a decisão.

Antes da entrada da Rede Sustentabilidade na coligação, o PSB já era rachado. O grupo liderado por Amaral, ex-ministro do governo Lula, é simpático ao PT. Já a outra ala chegou a defender o apoio ao candidato do PSB à Presidência, o senador Aécio Neves (MG). Com a morte de Campos, principal líder socialista e que costurou os palanques regionais para esta campanha, a sigla voltou a ficar dividida entre uma ala que defende Marina e outra que prefere retirar a candidatura.

Na defesa de Marina 

Enquanto o partido não se decide, partidários de Marina defendem sua candidatura. Com isso, tentam evitar a aproximação do PT. O presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire (SP), disse que, ao se aliar a Eduardo Campos, apoiava uma candidatura alternativa e de oposição a Lula e ao PT. Segundo Freire, a substituição terá que levar isso em conta: uma candidatura capaz de garantir a realização de um segundo turno e que trabalhe para derrotar Dilma. Freire descartou deixar a coligação para apoiar Aécio informalmente.

Para o líder do PPS, Marina é o nome mais provável para encabeçar a chapa. Segundo ele, não há data ainda para a reunião dos partidos da coligação. Indagado se há no PPS resistência ao nome de Marina, Freire respondeu que não há resistência, mas que não vê esse sentimento. “O sentimento de derrota ao lulopetismo é forte para (o PPS) não ter candidato. Queremos que tenha segundo turno. Com Marina ou com qualquer outro candidato que se viabilizar”, disse.

Antônio Campos, irmão do candidato morto, defendeu a candidatura de Marina à Presidência. “Tenho convicção de que essa seria a vontade de Eduardo”, escreveu Antônio em uma carta. O governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), também apoia Marina.

Enquanto o PSB discute, a ordem na Rede é silêncio. Recolhida desde o acidente, Marina ordenou que a discussão da chapa só seja feita após o sepultamento de Campos.

O ex-deputado Walter Feldman, porta-voz da Rede, disse que o PSB continua como cabeça de chapa. Frisou que o que foi determinado por Campos será mantido.

Opinião

Líderes dos partidos coligados ao PSB na chapa Unidos pelo Brasil declararam ao ‘Globo’ que apoiarão a escolha de Marina para encabeçar a coligação. Eles frisaram, porém, que Marina está diferente desde que iniciou a campanha com Campos, abraçando um partido cuja bandeira nunca foi essencialmente a causa ambiental e a renovação da política. Alguns pedem que ela reafirme compromissos de quando entrou no PSB, em novembro do ano passado.

Eduardo Machado, presidente nacional do PHS, afirmou que o nome de Marina é o mais natural para encabeçar a chapa, não por ela ser vice de Eduardo, e sim por ter popularidade. Ele disse esperar que a decisão sobre o novo candidato à Presidência seja tomada em conjunto entre os seis partidos.

“Não abrimos mão de que essa decisão passe por todos os partidos. O Eduardo Campos não era candidato do PSB, e sim da coligação Unidos pelo Brasil. Eu diria que é natural não em função dela ser a vice, mas em função da popularidade que ela tem. Se algo acontecesse com a Dilma, eu não diria que o Michel Temer seria o candidato do PT”.

Saiba mais: Vídeo: Pr. Silas Malafaia denuncia perseguição religiosa e política do Governo

Deixe seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte:  O Globo

MP denuncia prefeito do Rio por improbidade. Silas Malafaia diz que é perseguição religiosa

Pastor Silas Malafaia

Pastor Silas Malafaia

O pastor Silas Malafaia, presidente do Conselho de Ministros do Estado do Rio de Janeiro, que organiza o evento Marcha para Jesus, atribuiu como perseguição religiosa o processo instaurado pelo Ministério Público do Rio para investigar o repasse de R$ 1,6 milhão da Prefeitura para a organização do evento, em 2013. No fim do mês passado, a promotora Glaucia Santana, da 5ª Promotoria de Tutela Coletiva, denunciou o prefeito Eduardo Paes por improbidade administrativa pela doação da verba.

“A Marcha está no calendário oficial da cidade e não é evento da igreja evangélica. Quero saber se o Ministério Público também abre procedimento para Jornada Mundial da Juventude e para festas interreligiosas. Isso é perseguição contra os evangélicos”, criticou o pastor Silas Malafaia, que ainda foi além. “Se ela (a promotora Glaucia, responsável pelo caso) não estiver investigando os outros eventos também, eu entro com uma ação no Conselho Superior do MP contra ela”.

Em resposta, a promotora Glaucia Santana alegou que o órgão está atento a tudo. “Ele (o pastor Silas) deve estar com a memória fraca, pois uma ação do MP impediu o repasse de várias verbas públicas para a Jornada”, rebateu a promotora, que também pretende investigar os valores já cedidos pelo município para as marchas de 2012 e deste ano.

Se o prefeito for condenado por improbidade administrativa, ele terá que devolver aos cofres públicos o valor repassado ao Conselho de Ministros do Rio, de R$ 1,6 milhão. “O estado é laico, e a Prefeitura não pode dar dinheiro para evento religioso. Se condenado, o prefeito também pode perder poder político”, concluiu Glaucia Santana. Através de sua assessoria de imprensa, Paes informou que não foi notificado oficialmente do processo e só irá comentar o caso quando for informado pela Justiça.

Além do Ministério Público, o Tribunal de Contas do Município também investiga o apoio da Prefeitura na Marcha para Jesus. O processo, sob a responsabilidade do conselheiro Nestor Guimarães, ainda está em andamento. Além do contrato de 2013, o órgão também analisa o convênio firmado no ano anterior, no valor de R$ 2,4 milhões.

Apoio a atos religiosos é prática antiga

Em três edições da Marcha para Jesus, a Prefeitura já pagou mais de R$ 5 milhões ao Conselho de Ministros do Rio para a organização do evento. O convênio mais recente foi fechado em maio deste ano, no valor de R$ 2,4 milhões.

A prática de apoio financeiro da Prefeitura a eventos religiosos é antiga. Em 2010, a Mitra Arquiepiscopal do Rio, entidade católica, recebeu R$ 652 mil da Riotur para realização de três eventos. Para a JMJ, o município quase firmou a contratação de serviço de saúde com verba pública no valor de R$ 7,7 milhões, mas uma ação do MP impediu o repasse. Em 2005, o então prefeito Cesar Maia também foi investigado por repassar R$ 150 mil dos cofres públicos a uma igreja católica. (Fonte: O Dia)

Para Deputado, umbandista pode estar sendo vítima de traficantes convertidos à igreja evangélica, segundo O Dia

COMENTÁRIO de PAULO TEIXEIRA (RJ):

OS EVANGÉLICOS EXIGIMOS UMA RETRATAÇÃO DO DEPUTADO ESTADUAL, DO PT, CARLOS MINC

PAULO TEIXEIRA, editor e comentarista do Holofote

PAULO TEIXEIRA, editor e comentarista do Holofote

Os ataques que o segmento evangélico vem recebendo no Rio de Janeiro, de certo tempo para cá, tendo como base fatos incomprovados, onde sequer alguém foi preso ou foi indiciado por Inquérito Policial algum, deve ser monitorado.

Toda a sociedade sabe que não existe ‘traficante evangélico’. Até mesmo as Autoridades Policiais sabem disto. Não há comunhão entre luz e trevas.

Essa conversa fiada que marginaliza o segmento evangélico pode fazer parte de um jogo que visa salvar as religiões afro-brasileiras, visto que há estudos que sugerem que tais religiões estariam em declínio no país, conforme mostram alguns dados. Em 2009, num ato de intolerância contra os evangélicos, um pesquisador concedeu entrevista ao Jornal Extra e proferiu, segundo o Jornal, as seguintes palavras: “Já faz 20 anos que a umbanda vem diminuindo e cada vez mais por perseguição evangélica. Se esse processo não é estancado, o que vai acontecer?“.

Como se não bastasse os ataques que os evangélicos vem sofrendo, há meses, no Rio, por parte de alguns segmentos da imprensa, desta vez um deputado estadual usou o mesmo discurso em relação ao segmento evangélico.

Segundo, O Dia, o deputado estadual Carlos Minc, do PT, disse as seguintes palavras sobre os ‘traficantes evangélicos’: 

“Essa é a principal hipótese. Não é uma briga de vizinhos, apenas. No Complexo do Alemão e na Ilha do Governador, grupos convertidos acabaram com terreiros de umbanda e candomblé. Só na rua do terreiro de mãe Conceição, há duas igrejas que demonizam a religião afro”.

O deputado sugeriu que seja criada uma delegacia de Combate à Intolerância Religiosa.

Como evangélico, pergunto: “se a delegacia existisse, o deputado Carlos Minc responderia a Inquérito Policial por suas opiniões em relação aos evangélicos?“.     

Esse assunto precisa ser monitorado diuturnamente. Os evangélicos não podem ser ‘satanizados’ para que se coloque num pedestal essa ou aquela religião. Amamos a todos e não discriminamos ninguém, mas não podemos permitir que essa conversinha de que as minorias precisam receber tratamento especial do Estado brasileiro chegue ao campo religioso. Monitoremos tudo.

Não podemos permitir que possíveis rixas entre vizinhos acabem na conta dos evangélicos.

Olhos bem abertos nessa questão !

Mãe de santo, que teve terreiro atacado oito vezes, pode ser vítima do tráfico

Minc vai pedir ao governo do estado a criação de uma delegacia de Combate à Intolerância Religiosa.

terreiro atacadoDona de um terreiro religioso em Jardim Vale do Sol, em Duque de Caxias, que sofreu oito ataques violentos em oito anos, a mãe de santo Conceição de Lissá, se reuniu nesta quinta-feira com o procurador-geral de Justiça do Rio, Marfan Vieira e com o presidente da Comissão contra o Racismo, a Homofobia e a Intolerância Religiosa da Alerj, deputado estadual Carlos Minc, que vai pedir ao governo do estado a criação de uma delegacia de Combate à Intolerância Religiosa.

“Todos os casos foram registrados na delegacia de Imbariê, a 62ª DP, e não foram investigados. Vamos pedir que o Núcleo de Combate à Intolerância Religiosa da Polícia Civil investigue os oito ataques, que estão cada vez mais violentos”, contou Minc.

Ainda segundo ele, a mãe de santo pode estar sendo vítima de traficantes convertidos à igreja evangélica. “Essa é a principal hipótese. Não é uma briga de vizinhos, apenas. No Complexo do Alemão e na Ilha do Governador, grupos convertidos acabaram com terreiros de umbanda e candomblé. Só na rua do terreiro de mãe Conceição, há duas igrejas que demonizam a religião afro”, lembrou o deputado. qu

>>> Vereador do PT quer proibir pregação nos hospitais que vise ‘modificar o credo religioso’ dos pacientes

>>> BBC de Londres aborda crescimento evangélico e o declínio do umbandismo no Brasil

>>> Deputado do PT quer proibir que pacientes de hospitais mudem de religião

A mãe de santo contou para equipe de promotores do MP, que está sendo vítima de perseguição religiosa. No entanto, segundo ela, os policiais da 62ª DP têm tratado os atentados como se fossem meras brigas de vizinhos.

Dentre outros crimes, o barracão já foi invadido e teve as imagens sagradas de candomblé quebradas, sofreu incêndios e recebeu tiros. Sempre de madrugada. Dois carros de mãe Conceição já foram também queimados, provocando um prejuízo pessoal de pelo menos R$ 20 mil. A placa de um carro que rondava o barracão, antes de um dos atentados, chegou a ser anotada por um vizinho, mas a polícia ainda não chegou a um suspeito.irtaque

Num dos atentados, foi pichado numa parede a sigla CV, de Comando Vermelho. Mãe Conceição suspeita que ex-traficantes convertidos por igrejas evangélicas sejam autores da pichação e de pelo menos alguns dos atentados. “Uma vez tacaram uma bilha de aço que, se tivesse acertado a cabeça de alguém, teria matado”, disse ela.

Mãe Conceição mantém o terreiro há 13 anos e mora em outra casa na mesma rua. “Já deram tiros para dentro do centro, incendiaram o pavimento inferior e queimaram três veículos na minha porta. No último incêndio, no dia 26 de junho, o andar de cima foi destruído. Perdi todas as minhas roupas de santo e de alguns filhos, louças, móveis e eletrodomésticos. Eu estava expandindo o segundo piso e já tinha gasto mais de R$ 6 mil de material e mão de obra”, lamentou-se. (O Dia)

 

Intolerância religiosa no RJ. Segmento evangélico é alvo da imprensa

PAULO TEIXEIRA, editor e comentarista do Holofote

PAULO TEIXEIRA, editor e comentarista do Holofote

Fiquei perplexo com a matéria exibida hoje, 01 de agosto, no Jornal da Band, na qual mostrou um local supostamente de cultos afros, danificado e onde, segundo a matéria jornalística teria sido praticado por ‘traficantes que se dizem evangélicos’.

Ainda segundo o Jornal da Band, o Ministério Público do Rio de Janeiro iria verificar de onde estaria vindo tais ataques, classificado, indiretamente pelos entrevistados, como atos de intolerância religiosa.

O que deixou-me ainda assustado é que no final da matéria o jornalista Boris Casoy fez um comentário onde encerrou dizendo: “é o momento de a polícia buscar esses criminosos que muitas vezes agem em nome de suas crenças“.

Existem no Brasil grupos criminosos que atacam outras religiões em nome de suas crenças?

As palavras infelizes do jornalista visaram mostrar ao telespectador qual o segmento religioso foi realmente alvo da matéria?

Boris Casoy perdeu  uma grande oportunidade de ficar com a boca calada. O que ele quis insinuar?

terreiro atacadoTodos sabemos que a sociedade brasileira é bastante tolerante e respeitosa. Religiosos de diversas matizes vivem em famílias, empresas e em comunidades diversas, sem precisar fazer uso da violência. Atos violentos não são incentivados por líderes religiosos e, quando praticados por alguém, é porque o autor da agressão é por natureza violento e nada tem a ver com a sua religião. Qualquer coisa diferente disso deve ser tratada como exceção. 

Qualquer pessoa de sã consciência sabe que não existe parceria entre evangélicos e traficantes. Enquanto um prega o amor, o outro, o ódio.

O Ministério Público tem que chamar essas pessoas que dizem que os supostos ataques fazem parte de um ato de intolerância religiosa procedente de criminosos que se dizem evangélicos e intimá-las a apresentar provas.

Os evangélicos não podem servir de bode expiatório. Se alguma religião, seja ela de qualquer vertente, está perdendo adeptos, cada vez mais, para o segmento evangélico, isto não dá o direito de ‘satanizar’ os evangélicos.

Precisamos estar atentos e monitorando tudo.

Não é a primeira vez que o segmento evangélico é atacado.

>>> Os “traficantes da Globo” e os “super-heróis evangélicos”

>>> Traficantes evangélicos”. ABSURDO. Pastores podem ser convocados pelo MP

‘Ataque homofóbico’ pode ter derrubado avião da Malásia, sugere deputado federal

Deputado e ex BBB Jean Wyllys

Deputado e ex BBB Jean Wyllys

Comentário de PAULO TEIXEIRA:

As declarações (dignas de gargalhadas) proferidas pelo deputado federal e ativista-mor gay Jean Wyllys de que o avião da Malásia pode ter sido derrubado, pois a Rússia e Ucrânia são países conservadores, o que poderia justificar o abatimento de um avião cheio de pesquisadores do HIV, mostram que, de fato, o movimento gay diuturnamente vive sonhando em conspirações.

Não é a primeira vez que o ex-BBB provoca risos com suas declarações. Wyllys, meses atrás, foi alvo de críticas recentes ao atribuir caráter ‘homofóbico’ ao futebol.

Outra declaração ‘sapiente’ do ativista é que ele atribuiu o aumento do número de jovens com AIDS à homofobia.

Figuras como Jean Wyllys ENVERGONHAM a Câmara dos Deputados. Resta saber qual o perfil dos eleitores desse parlamentar.  Leia o artigo completo e a repercussão sobre as declarações de Jean Wyllys.

Silas Malafaia acusa governo do PT de usar a Receita Federal para exercer perseguição política e religiosa contra ele

COMENTÁRIO:

Aqueles que se expõem em defesa do Evangelho e dos princípios cristãos, de fato sofrem algum tipo de perseguição.

Eu, Paulo Teixeira (RJ), editor do Holofote, fazendo uso de minha liberdade de opinião fiz um artigo, tempos atrás, sobre a tal “intolerância religiosa” que insistem em dizer que exista por parte de grupos cristãos brasileiros a outros grupos religiosos brasileiros.

Meu artigo foi denunciado e uma certa autoridade do Rio entrou em contato comigo, fazendo ameaça de abrir um Inquérito Policial contra mim, por ‘intolerância religiosa’.

Tenho plena convicção de ter emitido minha opinião de forma serena, séria e clara, como venho fazendo desde 2007, aqui no Holofote.Net.

A mensagem ameaçadora está comigo. Em momento oportuno poderei divulgá-la.

REPITO: se eu tivesse medo de ameaça ou de responder a Inquérito por minha opiniões, já teria me recolhido faz tempo.

O BRASIL NÃO PODE SUCUMBIR diante do que vem por aí.

Precisamos ter coragem para enfrentar.

As denúncias feitas pelo pastor Silas Malafaia devem levadas a sério. Isto é GRAVÍSSIMO!

NÃO PERMITAMOS que  o Brasil seja uma Alemanha de Hitler, nem uma Cuba de Fidel Castro, onde pessoas sofreram por discordarem  da ideologia governamental.

REPITO: as denúncias do pastor Silas Malafaia são gravíssimas.

ACORDA BRASIL !!!! 

Pastor Silas MalafaiaSilas Malafaia acusa governo do PT de usar a Receita Federal para exercer perseguição política e religiosa contra ele 

O pastor Silas Malafaia, líder da igreja Assembleia de Deus Vitoria em Cristo, está acusando o governo do PT de articular uma perseguição política e religiosa contra ele. Entre as manobras que Malafaia afirma terem sido feitas contra ele, ele diz que o governo colocou a Receita Federal para realizar uma série de investigações infundadas contra a Associação Vitória em Cristo, instituição comandada por ele, e também contra a igreja da qual ele é pastor. (Artigo completo em Gospel Mais).

 

Pastor pode ser denunciado ao MPF por pregar que homossexualismo é pecado

Comentário de PAULO TEIXEIRA (RJ): 

 

PAULO TEIXEIRA, editor do Holofote

PAULO TEIXEIRA, editor do Holofote

É bom que se perceba que os evangélicos e suas pregações estão sendo monitorados.

Qualquer um que diga que o homossexualismo é uma prática abominada por Deus e que as pessoas que praticam tal ato serão lançados nas trevas eternas, caso não se convertam, pode ter dor de cabeça com o Poder Judiciário.

É preciso que vigiemos e não deixemos que a pregação do Evangelho e a liberdade de expressão possa ser objeto de perseguição e ataques.

Viva a liberdade religiosa!

Viva a democracia! Estejamos sempre em ALERTA MÁXIMO para não permitirmos que o Brasil sucumba diante da ideologia do homossexualismo.

Pastor pode ser denunciado ao MPF por ter pregado que homossexualismo é pecado

Pr. David Owuor

Pr. David Owuor

Os vereadores de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, pretendem denunciar o pastor queniano David Owuor, conhecido nos meios evangélicos por um ministério de profecias, por “homofobia” e “desrespeitar a Constituição brasileira,” porque durante culto no Parque das Nações Indígenas, o pastor da África criticou o pecado homossexual e o pecado de mulheres que usam saia curta.

Eles querem a investigação do pastor pentecostal por ter declarado que os homossexuais não vão herdar o Reino de Deus.

O pastor, que reuniu 10 mil pessoas no Parque das Nações Indígenas, disse também que as moças não podem ir à igreja com saias curtas e calças apertadas. Nada de “minissaias, calças apertadas, mentiras, falsidade, prosperidade, fumo e a bebida. Se esforcem para viver em paz com todos os homens e serem santos,” pregou ele, em estilo pentecostal clássico, para o público evangélico, que o aplaudiu e gritou “aleluia.” (Com informações de Julio Severo).

Artigo completo: “Vereadores pretendem denunciar pastor ao MPF por ‘homofobia’.”

Livro infantil distribuído em escolas públicas chama o diabo de “amigo” e Deus de covarde

 

 

PAULO TEIXEIRA, editor do Holofote

PAULO TEIXEIRA, editor do Holofote

Comentário de PAULO TEIXEIRA (RJ):

Os pais devem monitorar tudo o que é ensinado na escola pública onde seus filhos estudam. Nada deve ser menosprezado. Faz-se necessário tal procedimento, pois, principalmente, as crianças do ensino fundamental não tem o discernimento necessário para rechaçar ensinos ou qualquer outra coisa que atente contra os princípios cristãos, morais e éticos. Todo cuidado é pouco.

Livro infantil distribuído em escolas públicas chama o diabo de “amigo” e Deus de covarde

Um livro distribuído nas escolas públicas do Brasil para estudantes matriculados no Ensino Fundamental se tornou o centro de uma polêmica na última semana, quando uma internauta divulgou imagens de trechos dos poemas, com supostas apologias ao diabo.

“A Máquina de Brincar”, escrito pelo gaúcho Paulo Bentancur, traz uma série de contos em forma de poema, e entre eles, alguns em que o diabo é mencionado como “um bom parceiro”. Dividido em duas partes, “Para ler no claro” e “Para ler no escuro”, o livro foi escrito, segundo o autor, com a intenção de brincar com “o lado bom e o lado mau das coisas”. Com poemas de títulos chamativos, como “O diabo que me carregue”, onde são feitos questionamentos sobre a existência de Deus, o livro compara Deus a uma criança medrosa e chama satanás de “amigo”: “Sossega! Vão falar mal aqueles que não estão contigo. Que não foram convidados pelo diabo, meu grande amigo”, diz um dos poemas.

livro4A internauta Janilda Prata teve acesso ao material oferecido pela escola a sua filha e publicou fotos do livro no Facebook. A indignação da mãe foi compartilhada por outros 49 mil usuários da rede social, e a repercussão chegou à imprensa, com matérias publicadas por sites como o do Jornal de Brasília e Administradores.

“Todos sabem como incentivo leitura para minhas filhas desde bebê. O contato das crianças com os livros passa por várias fases. Primeiro eu lia para elas, depois eu lia com elas e hoje elas leem sozinhas. Na hora de comprar um livro eu olho a capa, o tema, a sinopse, sobre o autor e a faixa etária. Depois peço que elas me falem sobre o que leram. Achei que isso era mais do que suficiente até o dia em que Ana Ester (9 anos) disse: ‘Mãe, tem algo errado com esse livro. No meio dele encontrei uma página ‘para ler no escuro’ e depois coisas horríveis…’. Me desculpe o autor, mas se alguém torna uma obra pública, eu tenho o direito de criticar e emitir minha opinião. Um livro para criança que invoca o diabo para ser amigo da mesma, diz que Deus não aparece porque é covarde e pequenino e termina dizendo que o capeta venceu, para mim é uma literatura totalmente imprópria. Não venha me dizer que isso é poesia. Isso, para mim, é pura heresia. Estou indignada por ter colocado algo assim na minha casa e nas mãos das minhas filhas. Que critério usar quando compro livros infantis? Vou ter que ler antes todas as páginas? Como algo assim pode ser liberado para publicação e considerado literatura infantil?”, desabafou Janilda. O autor, entrevistado sobre a polêmica, negou que faça apologia ao satanismo com as histórias que contou no livro, e disse que a intenção é usar a literatura para dar asas ao “surreal”.

“Quis fazer um livro diferente. As crianças de hoje são inteligentes, gostam de suspense, de figuras lendárias. E qual o problema de brincar com Deus e o diabo? Não faço apologia ao demônio, apenas brinco com o lado bom e o lado mau das coisas”, defendeu-se.

Veja imagens das páginas do livro publicadas pela internauta Janilda Prata: (Fonte: Gospel Mais)

Pais devoram seus filhos na Coreia do Norte, em meio à fome

‘Beijo gay’ poderá invadir muitos lares cristãos nesta segunda-feira

globoComentário de PAULO TEIXEIRA:

Como muitos cristãos noveleiros estarão com os olhos fitos na Globo vendo a novela, certamente a cena do provável beijo lésbico invadirá seus lares, estando os mesmos sob total influência da ocorrência.

‘Beijo gay’ invadirá muitos lares cristãos nesta segunda-feira

É hoje (30) que vai ao ar na novela “Em Família” o noivado das personagens Clara (Giovanna Antonelli) e Marina (Tainá Múller), um casal de lésbicas.

É possível que seja exibido pela novela da Globo o tal beijo gay entre as atrizes, pois elas já apareceram se beijando em outro momento da trama.

Até uma campanha está sendo feito pela internet incentivandao as famílias a não assistirem a novela.

novela globo

 

(Com informações de Gospel Prime)