"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas" disse JESUS......................."E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”, disse JESUS

Filme ‘Os Dez Mandamentos’ é vetado a menores de 12 anos pelo Ministério da Justiça

O Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação do Ministério Leia mais »

Acusado de agredir a ex-mulher, Pedro Paulo é vaiado ao carregar imagem católica

Sob vaias, o secretário-executivo Pedro Paulo Carvalho (PMDB) carregou uma Leia mais »

De vento em popa

O best seller “AS 25 LEIS BÍBLICAS DO SUCESSO”, de Leia mais »

O perigo de seguir cegamente “líderes políticos cristãos”

Os maiores referenciais bíblicos de homens públicos, a meu ver, Leia mais »

Pais devoram seus filhos na Coreia do Norte, em meio à fome

Outras postagensCoreia do Norte mantem cristãos campos de concentração por Leia mais »

 

Brasil é o 3º país do mundo com maior número de mórmons

mórmons

Os EUA e México possuem os maiores números de adeptos da Igreja dos mórmons, do mundo. O Brasil está em terceiro lugar.

Os mórmons não acreditam em proselitismo de massa. A pregação é olho no olho. Num terreno de oito mil metros quadrados em Casa Verde, Zona Norte de São Paulo, fica o Centro de Treinamento Missionário (CTM), por onde passam, por semana, 70 jovens candidatos a missionários. Ali, por três semanas (os brasileiros) ou nove (os americanos), recebem aulas de como melhor convencer as pessoas sobre o que diz “O Livro de Mórmon” e o retorno à terra de Jesus Cristo, fundamentos centrais da seita.

Sem o apelo midiático de muitas das religiões cristãs que avançam pelo Brasil – ainda que esteja presente na internet -, a igreja dos mórmons, conhecida como Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias tem uma estrutura corporativa digna de grandes empresas. Os cerca de 300 empregados do prédio-sede da administração em São Paulo (epicentro da igreja no Brasil, com o maior número de seguidores, seguido por Ceará) cuidam de tudo para que as mais de 1.900 congregações do país se dediquem apenas às discussões religiosas.

Ali, em meio a pôsteres de um Jesus Cristo caucasiano (quase louro), profissionais planejam e monitoram investimentos em prédios (cada nova capela para 500 pessoas custa R$ 3 milhões), digitalização de documentos (este ano, serão 4,2 milhões de registros de nascimento e casamento digitalizados, serviço fundamental para uma igreja que acredita no casamento após a morte), logística para produção e distribuição de material de evangelização (são 50 mil assinantes da revista “A Liahora”, 200 mil exemplares de “O Livro de Mórmon” e 60 mil Bíblias vendidas por ano) e ações de responsabilidade social (doação de três mil cadeiras de rodas por ano e o programa de voluntarismo Mãos que Ajudam).

O mormonismo foi criado em 1830 nos Estados Unidos peplo ‘profeta’ Joseph Smith Jr., que aos 14 anos, ao orar em um bosque, afirmou ter perguntando a Deus qual Igreja devia pertencer, apareceram-lhe, segundo ele,  dois anjos resplandecentes e lhe disseram que todas as igrejas estavam desviadas; e que ele não se unisse a nenhuma. O evangelho de Cristo em breve seria restaurado.

Segundo o relato do próprio Smith, apareceu-lhe o “anjo” Moroni, que, segundo fez crer, havia vivido naquela mesma região há uns 1400 anos. Ainda conforme o relato de Smith, Mórmon, o pai de Moroni, um profeta, havia gravado a história do seu povo em placas de ouro. Quando estavam a ponto de serem exterminados por seus inimigos, Moroni teria essas placas ao pé de um monte próximo do local onde hoje é Palmyra. Nessa visão, Moroni teria indicado a Joseph Smith o lugar onde as placas teriam sido escondidas, e lhe emprestou umas pedras especiais, um certo tipo de lentes, chamadas, “Urim e Tumim”, com as quais Joseph Smith poderia decifrar e traduzir os dizeres dessas placas.

Joseph Smith encontrou quem o aceitasse como profeta e fundou uma Igreja com seis membros. Esta, no conceito dele era a única igreja verdadeira. Somente nela se conseguiria a salvação da alma. Os crentes deviam edificar uma teocracia, isto é, teriam seu próprio governo civil sob a direção. Smith, o profeta, seria o presidente. Teria a ajuda de doze apóstolos. Os que não recebiam a mensagem eram chamados de “gentios”. Uma série de “revelações” de Jeseph Smith foi desenvolvendo a doutrina da Igreja e transformado-a em um politeísmo, conf. Doutrinas e Convênios.(Livro da seita).

Com informações de Yahoo e SolaScriptura

Comente via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

JESUS